“Assim como o Pai me enviou, eu os envio.” Jo. 21. 20

Pr. Marcos Batista

As palavras usadas são por demais claras. Elas patenteiam o desejo de Jesus: a compreensão do envio, ou melhor, aquilo que deseja que façamos enquanto seus discípulos. Entretanto, não é somente uma compreensão sem sentido. Ela está carregada do seu amor profundo pelos homens. Mostram que o envio tem um sentido duplo: missão e missões.

Missão é a ordem (eu os envio).  Missões é centrar o desempenho através das experiências que Jesus viveu. É construir a missão conforme suas orientações. Logo, missões é ir tendo Jesus como padrão. Padrão que aponta para certas considerações.

1 – Jesus era cheio do Espírito Santo, conforme Lucas 3. 22: “e o Espírito Santo desceu sobre ele…” e deseja que sejamos também plenos do Espírito, em At. 1. 8 encontramos: “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês…”, e em At. 2. 4, a concretização:“Todos ficaram cheios do Espírito Santo…”. Devemos ser cheios do Espírito.

2 – Jesus sempre foi obediente, Hb. 5. 8: “Embora sendo Filho, ele aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu;”, e conforme  1 Pe. 2. 21: “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam suas pisadas.”. Devemos ser obedientes.
3 – Jesus sabia que missões é propagar a sua vida. João expressou esse ideal com rara maestria, Jo. 10. 10: “…, eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente.”, por isso garante-nos sua presença constante, Jo. 14. 18: “Não os deixarei órfãos; voltarei para vocês.”. Sua consolação nos acompanha em qualquer circunstância. Devemos propagar a vida de Jesus.
4 – Jesus desempenhou a sua missão tendo palavras de graça, Lc. 4. 22: “Todos falavam bem dele, e estavam admirados com as palavras de graça que saiam de seus lábios…”.  Paulo entendeu esse conselho de Jesus e nos deixou a seguinte recomendação na sua carta aos efésios. Ef. 4. 29: “Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem.”. Devemos falar edificando sempre.
Portanto, Missões é seguir o padrão de Jesus.
Concluo com a seguinte frase de Jordan: “o amor transforma todos os nossos deveres em privilégios, e todas as nossas responsabilidades em alegrias.”. (Manancial 1T90, pg. 60).
MISSÕES: Ir conforme o padrão de Jesus